10/4/2024 18:27

Augusto Melo faz parceria com ONG e dá declaração surpreendente sobre a dívida do Corinthians

Augusto Melo faz parceria com ONG e dá declaração surpreendente sobre a dívida do Corinthians
O presidente do Corinthians, Augusto Melo, afirmou que é mais fácil ajudar a acabar com a fome no país do que quitar a dívida do clube.

De acordo com ele, contra a fome é possível juntar forças, unir poder público, iniciativa privada e terceiro setor para reduzir o impacto desse mal que aflige 33 milhões de pessoas no país. "A fome é um problema social, então depende da sociedade, do governo, de nós todos lutarmos contra ela. Então podemos juntar forças, como aqui o Corinthians e a Gerando Falcões e o Edu Lyra. Agora a dívida do Corinthians somos nós aqui, no clube, que teremos que lidar com ela e trabalhar muito. E não é fácil."

A declaração do presidente alvinegro, que assumiu o Sport Club Corinthians Paulista em janeiro deste ano, foi dada na quinta-feira (4), quando o clube firmou parceria com a ONG Gerando Falcões.

Sob os olhares de Raul Correa (diretor cultural), Edu Lyra (CEO da Gerando Falcões) e Armando Mendoça (vice-presidente alvinegro), o presidente do Corithians, Augusto Melo, exibe a primeira doação do clube paulista ao projeto As Maravilhosas, com a camisa de Tamires, capitã do time feminino corintiano
Sob os olhares de Raul Correa (diretor cultural), Edu Lyra (CEO da Gerando Falcões) e Armando Mendoça (vice-presidente alvinegro), o presidente do Corithians, Augusto Melo, exibe a primeira doação do clube paulista ao projeto As Maravilhosas, com a camisa de Tamires, capitã do time feminino corintiano - Cristiano Cipriano Pombo/Folhapress
O clube diz não ser possível hoje definir o valor final da dívida, já cogitada em torno de R$ 2 bilhões, e que nos próximos dias deve divulgar o resultado de um trabalho feito desde o início do ano para justamente ter uma radiografia precisa do montante desse passivo.

Mesmo assim, o presidente corintiano afirmou que a herança amarga nas contas não impedirá o Corinthians de atuar cada vez mais em ações sociais.

"O Corinthians vive uma crise por hora. Mas vamos honrar o que é ser Corinthians, inspirar milhões de torcedores e fazer acontecer, impulsionar nossa vocação social, de luta pela democracia e combate à pobreza", disse Augusto Melo.

O CEO da Gerando Falcões, Edy Lyra, entre o vice corintiano, Armando Mendoça, e o presidente do Corinthians, Augusto Melo
O CEO da Gerando Falcões, Edy Lyra, entre o vice corintiano, Armando Mendoça, e o presidente do Corinthians, Augusto Melo - Cristiano Cipriano Pombo/Folhapress
Tanto é assim que o clube assinou contrato com a Gerando Falcões, liderada pelo empreendedor social Edu Lyra, para impulsionar o projeto Asmara ("As Maravilhosas"), que envolve cultura de doação, empoderamento feminino e geração de renda para mulheres nas periferias de São Paulo.

A apresentação da parceria foi realizada no teatro do Parque São Jorge. Desenvolvido pela Gerando Falcões e administrado por Mayara Lyra, gerente de negócios sociais da ONG e esposa de Edu Lyra, o projeto surgiu em novembro de 2023, após Edu voltar de uma viagem a Bangladesh.

4 4
Da favela para o mundo

VOLTARFacebookWhatsappTwitterMessengerLinkedinE-mailCopiar link
https://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/nova/1620868690756420-da-favela-para-o-mundo#foto-1620868690935427
Loading
Lá, ele teve contato com a Brac, uma das maiores organizações sociais do mundo e viu que, para alguém se "graduar" na condição social, é preciso ter dinheiro no bolso. Daí surgiu a ideia das Maravilhosas, que consiste em coletar doação de roupas, realizar triagem das peças, selecionar e reparar peças que tenham valor comercial, montar kits e levá-las para serem vendidas pelas mulheres da favela.

A ideia de associação com o Corinthians é ver na torcida do clube, a maior do Estado de São Paulo, a chance de impulsionar as doações e beneficiar 15 mil mulheres.

"Meu sonho era ser jogador do Corinthians. Como corintiano, meu coração vibra mais para vencer dentro de campo e ajudar a vencer problemas sociais fora dele", afirmou Lyra. A ideia do empreendedor social é levar o projeto a 5.000 favelas que contam com ações da entidade.

Mayara Lyra, gerente de negócios sociais da Gerando Falcões, ao lado do marido, Edu Lyra, CEO da ONG, e de Augusto Melo, presidente do Corinthians
Mayara Lyra, gerente de negócios sociais da Gerando Falcões, ao lado do marido, Edu Lyra, CEO da ONG, e de Augusto Melo, presidente do Corinthians - Cristiano Cipriano Pombo/Folhapress
De acordo com Mayara, cada mulher que participa do projeto —hoje são 1.200— recebe mentoria da Gerando Falcões, que envolve técnicas de venda, administração de finanças pessoais e conceitos que levam ao empoderamento.

Assim, com média de ganhos iniciais de R$ 600 –que podem chegar a R$ 5.000– e 33 favelas atendidas hoje, As Maravilhosas espera movimentar neste ano 4 milhões de peças de roupas. Em três meses em 2023, foram 1,2 milhão.

Mayara Lyra, diretora de negócios sociais de Gerando Falcões
Mayara Lyra, diretora de negócios sociais de Gerando Falcões - Karime Xavier - 29.jan.24/Folhapress
"A venda dos kits é uma oportunidade para mulheres quebrarem o ciclo de pobreza e ingressarem num ecossistema de oportunidades. Não é uma solução de prateleira, mas algo feito para as mulheres e pelas mulheres, sem risco. Se ela não vende o kit, pode devolver. Se vende, fica com parte da venda e outra parte é reinvestida no projeto. E, com renda e conhecimento, essa mulher transforma sua realidade e a do seu entorno", afirma Mayara Lyra, que desenhou o projeto e o acompanha de perto.

Retrato do impacto positivo do projeto é Carliene da Silva Ferreira. Moradora da Favela dos Sonhos, em Ferraz dos Vasconcelos (SP), onde se instalou com os três filhos após fugir de relacionamento abusivo em Remanso (BA), ela hoje lidera 30 mulheres no projeto As Maravilhosas em sua comunidade.

Favela dos Sonhos, em Ferraz de Vasconcelos (SP), que mudou de nome, recebeu reformas e programas de gestão e geração de renda em projeto da Gerando Falcões
Favela dos Sonhos, em Ferraz de Vasconcelos (SP), que mudou de nome, recebeu reformas e programas de gestão e geração de renda em projeto da Gerando Falcões - Karime Xavier/Folhapress
"A gente sai junta. Se tem bazar, vou com elas. A gente se tornou uma rede de apoio. Na comunidade, muitas mulheres têm maridos controladores. Então a gente viu que, com o projeto, várias se livraram dessa violência, porque tinha gente que ia até pedir dinheiro no farol e agora vai vender com a gente. Eu me vejo em cada história delas, nas dificuldades, por isso sei da potência das Maravilhosas."

Segundo ela, as mulheres realizam reuniões semanais, o que já "permite um convívio social, e também recebem instruções sobre direitos e renda, o que as ajuda muito".

Carliene da Silva Ferreira (à esq.), líder do projeto As Maravilhosas na Favela dos Sonhos, participa do lançamento da parceria com o Corinthians, em mesa em que estavam Raul Correa (diretor cultural), Armando Mendoça (vice presidente alvinegro), Augusto Melo (presidente do clube), Edu Lyra, CEO da Gerando Falcões, e Mayara Lyra, gerente de negócios sociais da ONG, no teatro do Parque São Jorge
Carliene da Silva Ferreira (à esq.), líder do projeto As Maravilhosas na Favela dos Sonhos, participa do lançamento da parceria com o Corinthians, em mesa em que estavam Raul Correa (diretor cultural, à esq.), Armando Mendoça (vice presidente alvinegro, segundo à esq.), Augusto Melo (presidente do clube, no centro à esq.), Edu Lyra (CEO da Gerando Falcões, no centro à dir.) e Mayara Lyra ( gerente de negócios sociais da ONG, segunda à dir.), no teatro do Parque São Jorge - Cristiano Cipriano Pombo/Folhapress
A certeza da transformação fica evidente em Lyra, quando questionado o que teria mudado em sua vida se sua mãe tivesse tido a oportunidade de ser uma Maravilhosa. "Puxa vida, ela teria mais tempo e não teria que gastar três horas para se deslocar para conseguir uma renda. E eu teria mais tempo com ela", disse o empreendedor, com a voz embargada.

A emoção também tomou Lyra no momento em que o presidente do Corinthians fez a primeira doação do clube para campanha, uma camiseta da capitã do time feminino alvinegro, Tamires. "As Brabas e Asmara dão liga", afirmou.

O otimismo com a força da torcida corintiana também foi ressaltado pelo vice-presidente do clube, Armando Mendonça. Tanto que ele disse que no próximo domingo (14), na estreia do Corinthians no Campeonato Brasileiro, quando enfrenta o Atlético-MG, às 16h, será registrada a maior doação de roupas em um jogo de futebol.

Para isso, serão instaladas caixas para coleta das doações na Neo Química Arena. E a iniciativa também será levada a jogos do time feminino e a outras modalidades do clube paulista.

Além da campanha com a Gerando Falcões, o Corinthians deve neste primeiro jogo do Brasileiro levar 1.000 crianças de comunidades pela primeira vez a um estádio de futebol.


VEJA TAMBÉM
- Diretoria da Gaviões questiona presidente Augusto Melo sobre patrocínio da VaideBet
- MULTA MILIONÁRIA! Corinthians é condenado a pagar multa a ex-atleta da equipe
- RETORNOS! Corinthians recebe reforços e divulga provável escalação para enfrentar o América-RN









5883 visitas - Fonte: -

Mais notícias do Corinthians

Notícias de contratações do Timão
Notícias mais lidas

Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias

publicidade

Brasileiro

Dom - 16:00 - Neo Química Arena -
X
Corinthians
Botafogo

Sudamericana

Ter - 21:30 - Neo Química Arena
4 X 0
Corinthians
Argentinos JRS
publicidade
publicidade
publicidade